#Olhar23: Cala a boca, Bolsonaro! (Até quando aguentar?)

Sabe aquele sujeito que é o espalha-roda? Aonde ele chega, todo mundo se dispersa. Ninguém aguenta. Na rodinha de amigos, na conversa do café, no trabalho, no almoço da família, na mesa do bar. É inconveniente, grosseiro, inoportuno. Quando aparece, você logo pensa: “Xiiii! Lá vem ele!”.

São assim esses oito meses do governo Jair Bolsonaro. Nada muito diferente dos 30 anos em que ele foi deputado. O espalha-roda. O tiozão das correntes no whatsapp. O problema é que agora o meme virou presidente. Os idiotas chegaram ao poder. Saíram todos juntos do armário para dominar o mundo.

Então é uma asneira atrás da outra: até regular a quantidade de vezes que você deve ir ao banheiro o sujeito quer. Faz piada fora de hora. Emprega parente e acha bonito. Age como um bobalhão deslumbrado com a cadeira que jamais acreditou verdadeiramente que ocuparia, até porque sempre soube que não tinha capacidade para tanto.

Comemora o regime militar, idolatra torturador. Vive como fiscal do comportamento alheio. Afirma que ninguém passa fome no Brasil. Que o desmatamento da Amazônia é mentira e que defender o meio ambiente é coisa de vegano, ou de quem só come vegetais. Justifica o trabalho infantil, pede cadeia para jornalista, diz que a questão de gênero é coisa do capeta.

Precisa mais? Ele faz, diariamente, nas suas demonstrações de preconceito, ignorância e incivilidade. E o bando de aloprados que acham que o sujeito é um “mito” não admite nenhuma crítica. Como abrir os olhos do brasileiro que não entende que podemos ser oposição ao Bolsonaro sem virar petista, comunista, lulista, isentão ou algo do tipo?


Veja abaixo no #Olhar23

O meme que virou presidente no #Olhar23: Só burro votou no Lula e no PT, né, Bolsonaro?

 

O que dizer de Jair Bolsonaro, o meme que virou presidente, senão tratá-lo com o deboche e o desprezo que ele merece pelo total despreparo para o cargo que ocupa? O #Olhar23 (veja abaixo) é este espaço livre e sem censura para extravasar toda a irreverência e o sarcasmo pelo mito dos tolos. Não é possível que o brasileiro ainda leve a sério esse personagem caricato.

https://www.youtube.com/watch?v=1zHOUWkDF04

#Olhar23: Depois de laranjas no PSL e de melancias no governo, o próprio Jair Bolsonaro se mostra um bananão!

Além de despreparado, desqualificado, desequilibrado, inepto e inapto para o cargo de Presidente da República, Jair Bolsonaro não assume as suas próprias palavras (veja abaixo).

Irresponsável! Mentiroso! Inconsequente! Negou agora ter usado o termo pejorativo “paraíba” para se referir aos nordestinos, apesar do episódio vergonhoso estar gravado.

Também chamou de “melancia”, verde por fora e vermelho por dentro, um militar que o criticou.

Se bem que de frutas a família Bolsonaro entende: já eram experts em laranjas e agora entram para o mercado de bananas…

É uma salada completa! Vergonha nacional!

#BlogCidadania23: Trocamos o humor pelo terror no #Olhar23

Apresentamos mais um episódio do #Olhar23 (veja abaixo), o nosso olhar crítico, irônico e irreverente das sandices do bolsonarismo, esse fundo de poço atingido pela política brasileira. Mas, afinal, como fazer sátira de alguma coisa que no dia a dia é mais ridícula que qualquer piada? Nada é mais absurdo que a realidade paralela da família Bolsonaro.

Hoje repercutimos a indicação de Eduardo Bolsonaro para a Embaixada dos Estados Unidos, a sua incrível experiência fritando hambúrguer, para orgulho do papai Jair Bolsonaro e do titio Donald Trump, além da nossa expectativa pela nomeação de um ministro “terrivelmente evangélico” para o STF. Ou seja, trocamos o humor pelo horror.

Show de horrores do bolsonarismo no #Olhar23

Não tem como tratar com seriedade um governo que não é sério, composto por lunáticos e desqualificados. O #ProgramaDiferente e o #Olhar23 mostram mais uma vez que a realidade do bolsonarismo supera qualquer sátira política. A situação foge do controle. Os ministros parecem ter saído de um programa de calouros (e o Brasil entrado num show de horrores). O próprio presidente não tem a mínima compostura para o cargo. É de causar vergonha alheia em qualquer um.

Tem stand up tragicômico do ministro showman Abraham Weintraub, tem xingamento do fanfarrão Olavo de Carvalho, tem análise do Marco Antonio Villa (demitido da Jovem Pan por criticar o bolsonarismo), tem comentário sensato da deputada Tábata Amaral, tem as sandices da ministra Damares Alves, enfim, tem doido pra conversar com doido. Mas vamos aturar isso tudo até quando? (Blog #Cidadania23)

#ProgramaDiferente e #Olhar23 mostram o Brasil com Bolsonaro: juntos e shallow now até quando?

Em meio à convocação nas redes sociais de manifestações pró e contra o presidente Jair Bolsonaro, o #ProgramaDiferente (veja abaixo) e os personagens surreais do #OLHAR23 aproveitam o clima para perguntar com bom humor e irreverência: Brasil com Bolsonaro, juntos e shallow now até quando?

Depois das reações do presidente chamando de “imbecis”, “idiotas úteis” e “massa de manobra” os manifestantes que foram às ruas em prol da Educação na semana passada, a expectativa é que ainda mais gente se mobilize contra o governo no próximo dia 30 de maio.

Por outro lado, os bolsonaristas estão convocando protestos para o dia 26 de maio que extrapolam o apoio ao presidente e chegam a pregar a invasão do Congresso Nacional e o fechamento do Supremo Tribunal Federal. Pauta estranha com gente esquisita.

O fato é que a confiança no governo está em queda. Muita gente que votou em Bolsonaro já começa a duvidar da sua capacidade de melhorar alguma coisa no país. Com isso, a oposição cresce e aparece. O Brasil segue dividido. A crise está no ar.

Blog #Cidadania23 – Bolsonaro: Do mito ao mico no #Olhar23

No mundo surreal do #Olhar23‬, eleitor de Bolsonaro comenta com orgulho as ações do presidente na semana (veja o vídeo abaixo).

– Corte nos cursos de Humanas;

– Veto à campanha do Banco do Brasil;

– Deixar claro que o País não é paraíso gay para turista, mas quem quiser vir aqui fazer sexo com mulher, fique à vontade.

– E o mito responde ainda às críticas de mulheres feministas, comunistas e mal amadas.

O mico do dia no #Olhar23: Bolsonaro censura propaganda de aplicativo do Banco do Brasil

A última do presidente tuiteiro e fiscal da vida alheia Jair Bolsonaro, o meme que virou presidente, foi proibir uma campanha publicitária do Banco do Brasil que já estava no ar. Direcionada aos jovens, divulgava o serviço de abertura de contas pelo aplicativo do banco (veja vídeo abaixo).

Mas o que será que tanto incomodou Bolsonaro a ponto de vetar o comercial? Uma linguagem muito descolada? Muita mulher na propaganda? Ou muita gente preta? Será???!!! O #Olhar23 traz mais essa vergonha alheia do mito que virou mico.

Diretamente das catacumbas da direita retrógrada, múmia bolsonarista manda recado para o presidente no #Olhar23

Diretamente das catacumbas da direita retrógrada, múmia bolsonarista manda recado para o presidente Jair Bolsonaro no #Olhar23

Em defesa do homeschooling, o ensino domiciliar, e do resgate dos valores da família tradicional brasileira. Tendo como guru Olavo de Carvalho e ídolo máximo o presidente Jair Bolsonaro. Contra a ideologia de gênero, o marxismo cultural, o mimimi da igualdade feminina e a vitimização de negros e gays. Pelo orgulho hetero! Pela escola sem partido! Pelo combate aos comunistas! São os recados de hoje no #Olhar23 da Múmia Bolsonarista (veja abaixo).

Conheça também o Bolsominion que comemora o aumento da pontuação da Carteira de Habilitação, ideia genial de Bolsonaro para proteger motorista infrator da “indústria de multas”; ou o Olavista que comenta a entrevista de Olavo de Carvalho no programa Conversa com Bial, recebendo ainda a crítica da Intelectual Petista. Quando a realidade é mais ridícula que a paródia, estamos f******.

Quando a paródia do #Olhar23 não supera o realismo fantástico das bolhas ideologizadas e idiotizadas

Se você achava que surrealismo ou realismo fantástico fossem apenas movimentos artísticos ou gêneros literários, estava bastante enganado. É porque não tínhamos vivido ainda essa inigualável experiência da eleição de Jair Bolsonaro, o meme que virou presidente.

É disso que trata a realidade paralela do #Olhar23. Um olhar crítico, bem humorado, irônico e irreverente sobre as sandices do bolsonarismo, esse fundo de poço atingido pela nossa política. Uma parceria do #BlogCidadania23 e do #ProgramaDiferente (veja abaixo) que traz alguns personagens lunáticos e típicos dessa nova era das bolhas ideologizadas, idiotizadas e retrógradas.

Afinal, quem são Salvador Dalí, Luis Buñuel ou André Breton para quem tem Damares Alves, Ernesto Araújo e Vélez Rodriguez ou Abraham Weintraub, a dupla “seis por meia dúzia” da Educação? Pra que perder tempo com a obra de Gabriel García Márquez se temos as lives de Olavo de Carvalho?

Quem ainda se espanta com as aberrações de novelas como O Sétimo Guardião, Roque Santeiro e Saramandaia, ou de cidades fictícias como Tubiacanga, Serro Azul, Greenville, Resplendor e Asa Branca, depois de conhecer a Brasília dos Bolsonaros ou o Rio de Janeiro de Crivella, Witzel e da gangue de governadores presos, além de outras tragicomédias diárias tipicamente brasileiras?

Pois então venha conhecer o Bolsominion que comemora o aumento da pontuação da Carteira de Habilitação, ideia genial de Bolsonaro para proteger motorista infrator da “indústria de multas”; ou o Olavista que comenta a entrevista do guru Olavo de Carvalho no programa Conversa com Bial, recebendo ainda a crítica da Intelectual Petista. Quando a realidade é mais ridícula que a paródia, estamos f******.