Nota da Liderança do Cidadania na Câmara sobre risco de desmonte do INPE

O líder do Cidadania na Câmara dos Deputados, Arnaldo Jardim (SP), divulgou nota nesta terça-feira (14) manifestando preocupação com risco de desmonte denunciado por servidores do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Leia abaixo:

Nota da Liderança do Cidadania na Câmara sobre risco de desmonte do INPE

É com muita preocupação que nós, do Cidadania, recebemos a carta dos técnicos do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), com o grave alerta para um possível desmonte da estrutura sólida daquele órgão, que foi criado na década de 1960. Estrutura que tem como missão o desenvolvimento da Ciência e da tecnologia, além de abrigar um corpo de especialistas, em nível de excelência, que atua nas mais diversas áreas.

Mais uma vez, o Brasil e o mundo se deparam com o menosprezo, por parte do presidente de plantão, à ciência e à pesquisa. O Inpe é órgão do Estado brasileiro, com competências bem específicas para atender demandas nas áreas espacial e do ambiente terrestre.  É inadmissível que se interfira politico e ideologicamente naquele órgão que tem, entre outras tantas, a tarefa de promover estudos ambientais e principalmente o monitoramento climático de um dos maiores biomas do mundo, a nossa Amazônia.

A tentativa de desmonte do Instituto de Pesquisas Espaciais ocorre num instante em que ministros e secretários de Agricultura de países da América Latina ressaltam, em virtude da pandemia do novo coronavírus, a necessidade de fomentar a Ciência e a busca por transparência nas relações comerciais entre países.

A notícia de que querem fragilizar o Inpe é um duro golpe para todos nós e envergonha o Brasil.

O Congresso Nacional precisa reagir fortemente a mais essa tentativa do Executivo Federal de esvaziar competências de estruturas de Estado. O Cidadania, como tem feito ao longo de sua história, não hesitará em buscar instrumentos que fomentem a pesquisa e a inovação. E atuará para brecar essa “vontade incontrolável” do presidente Jair Bolsonaro de lutar contra a Ciência.

Brasília, 14 de julho de 2020

Arnaldo Jardim
Líder do Cidadania na Câmara dos Deputados

Veja o Estudo da Liderança do Cidadania na Câmara que aponta os benefícios da ampliação da Renda Básica Emergencial

Estudo feito a pedido do líder do Cidadania na Câmara, deputado Arnaldo Jardim (SP), mostra impactos positivos da ampliação do pagamento da renda básica emergencial para os mais vulneráveis e para a economia até o fim do ano. O trabalho se baseia em estudos acadêmicos que sustentam que o auxilio tem impacto mais significativo na parcela mais vulnerável da população e que 45% do valor investido retornará aos cofres públicos na forma de impostos.

Pela analise técnica da assessoria do partido, o investimento necessário na manutenção da renda básica emergencial chegaria a R$ 283,2 bilhões, mas, ao manter parte do consumo das famílias, elevaria a arrecadação na forma de impostos em R$ 128 bilhões. Além de evitar o aprofundamento da miséria e garantir dignidade a milhões de brasileiros, o auxílio tem impacto positivo em diversos setores da economia, apontam. Os principais são: eletrodomésticos, perfumaria, higiene e limpeza, couro e calçados, saúdemercantil e vestuário e acessórios.

O pagamento do auxílio, portanto, ajudaria a mitigar as perdas no setor produtivo. O trabalho do Cidadania cita estudos da Fundação Getúlio Vargas (FGV) estimando as “perdas para toda a cadeia produtiva” em R$ 78,1 bilhões por mês e a destruição de até 17 milhões de postos de trabalho.

Clique abaixo para ler a íntegra do documento: