Cidadania-BH elege novo Diretório Municipal e recebe filiações

O Cidadania de Belo Horizonte realizou no último sábado (24), na Câmara Municipal da capital mineira, o XI Congresso do partido para eleger os membros do Diretório Municipal e recebeu a filiação  de diversos representantes dos movimentos cívicos de renovação política.

O evento contou a participação de 500 pessoas entre filiados, dirigentes e pré-candidatos. Os delegados do encontro elegeram a nova direção do partido para os próximos dois anos. A Comissão Executiva será escolhida em até 10 dias.

Em Belo Horizonte, o partido está trabalhando para apresentar uma chapa de candidatos a vereador representativa de todos os setores da sociedade e candidatura própria à Prefeitura nas eleições de 2020. O pré-candidato do partido é o deputado estadual João Vitor Xavier, presidente do Cidadania de Minas Gerais. 

João Vitor aproveitou a presença dos militantes para reforçar a importância de uma chapa forte no Legislativo.

“É importante termos uma bancada boa a partir de 2021 na Câmara Municipal”, afirmou o deputado.

Filiações

Durante o XI Congresso, o partido recebeu as filiações de diversos representantes dos movimentos cívicos de renovação política, como o Acredito, Agora!, Livres, Raps e alunos do RenovaBR, além de representantes e lideranças de todas as regionais Belo Horizonte.

Veja abaixo as resoluções aprovadas no Congresso.

A) O novo Diretório Municipal deverá, no prazo máximo de 120 dias, apresentar uma carta de diretrizes para cidade.

Durante esse prazo (120 dias) serão realizados encontros, seminários e debates temáticos, com a participação de todos filiados interessados, convidados, movimentos cívicos e profissionais especialistas nos diversos temas de políticas para Belo Horizonte.

B) Conforme aprovado no último Congresso (X Congresso, realizado em 2017) o mandato do Diretório Municipal eleito no XI Congresso do Partido de Belo Horizonte (agosto de 2019) será de dois anos.

C) Autorizar a atual Comissão Executiva Municipal a:
I – Convocar a reunião do Diretório Municipal eleito em até 10 dias
II – Responder administrativa e politicamente pelo partido até a eleição da nova Executiva.

D) O novo Diretório Municipal deverá, em até 30 dias, nomear uma Comissão Organizadora para cada Regional e núcleo temático estabelecendo o prazo de seis meses para a organização dos respectivos Diretórios.

E) 1. Os dirigentes da Comissão da Executiva titulares e suplentes, contribuirão com uma taxa fixa mensal, a ser paga até o décimo dia útil , no valor mínimo de R$ 100,00.

2. Os membros do Diretório Municipal titulares e suplentes, contribuirão com uma taxa fixa mensal, a ser paga até o décimo dia útil, no valor mínimo de R$ 30,00.

3. Os pagamentos deverão ser efetuados através de boleto bancário, cartão de crédito ou transferência bancária, via Tesouraria do partido.

4. Os membros que apresentarem caso de comprovada hipossuficiência, terão isenção de taxa.

5. Os membros inadimplentes, por mais de sessenta dias, estarão suspensos ao uso do voto, até regularização da situação.

6. A Tesouraria deverá realizar campanhas de doações voluntárias recorrentes para os demais filiados ao partido na cidade.

Estas resoluções entraram em vigor a partir de 24 de agosto de 2019“.

Cidadania-BH: Kalil afronta liberdade de imprensa ao sugerir afastamento de João Vitor

O Diretório Municipal do Cidadania de Belo Horizonte divulgou nota (veja abaixo) de repúdio pelo prefeito da capital mineira, Alexandre Kalil (sem partido), ter feito apelo em reunião com jornalistas para que o jornalista e deputado estadual João Vitor, do Cidadania, fosse afastado de programa esportivo da Rádio Itatiaia.

O partido considera que a atitude de Kalil “fere a liberdade de imprensa, tentando cercear e manipular o livre exercício de uma profissão relevante para a consolidação da democracia e do estado de direito”.

Moção de repúdio – CIDADANIA 23-BH

Sobre a tentativa de censura ao jornalista e Deputado Estadual João Vitor Xavier, praticada pelo prefeito de Belo Horizonte e denunciada pelo Sindicato dos Jornalistas, manifestamos nosso repúdio à atitude indigna de um mandatário eleito de forma democrática e que afronta a liberdade de imprensa, tentando cercear e manipular o livre exercício de uma profissão relevante para a consolidação da democracia e do estado de direito.

Nos causa estranheza que essa atitude autoritária aconteça logo após a filiação do Deputado ao nosso renovado partido. O prefeito deveria buscar o cumprimento das metas estabelecidas em seu programa de governo ao invés de tentar impedir que criticas sejam feitas à sua administração.

Vale lembrar que o prefeito foi eleito com o discurso que afirmava ser contra a velha política, porém, suas atitudes comprovam ser apenas um discurso meramente eleitoreiro que difere totalmente de sua prática política e de gestão.

Nos 14 meses que restam até as próximas eleições municipais, o CIDADANIA 23 no seu papel de oposição, oferecerá à população oportunidades para que todos possam fazer a análise justa da atual gestão municipal e continuará trabalhando por uma Belo Horizonte melhor. Neste sentido, seria bom para nossa capital que seu administrador fizesse o mesmo.

Comissão Executiva do Diretório Municipal do CIDADANIA 23 – BH

VEJA TAMBÉM

http://www.pps.org.br/2019/06/05/sindicato-repudia-apelo-do-prefeito-de-bh-por-afastamento-de-jornalista-que-e-deputado-do-cidadania/

Sindicato repudia apelo do prefeito de BH por afastamento de jornalista que é deputado do Cidadania

O Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais divulgou nota (veja aqui e abaixo) em repúdio ao apelo do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (sem partido), pela demissão do jornalista e deputado estadual, João Vítor, filiado recentemente ao Cidadania de Minas Gerais.

Sindicato repudia apelo do prefeito Kalil por afastamento de jornalista

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais repudia a manifestação do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, pelo afastamento do radialista João Vítor Xavier de programa esportivo na rádio Itatiaia. João Vítor é deputado estadual pelo partido Cidadania e, segundo Kalil, faz críticas à sua administração no seu programa.

O apelo foi feito pelo prefeito em conversa informal com jornalistas, inclusive profissional da Itatiaia, no dia 29/5, segundo relato de Os Novos Inconfidentes.

O Sindicato considera essa atitude inadmissível. A lei assegura a João Vítor o exercício da profissão até abril do próximo ano, caso pretenda se candidatar a um novo mandato em 2020. Afastá-lo do seu trabalho, assim como a qualquer jornalista, por criticar a administração pública, configura clara censura à imprensa.

#LutaJornalista

#SindicalizaJornalista

Cidadania de Minas Gerais filia deputado estadual João Vitor

Cotado para concorrer à Prefeitura de BH, João Vítor Xavier oficializa filiação ao Cidadania

Jornal Hoje em Dia – Lucas Simões

Mirando sua candidatura à Prefeitura de Belo Horizonte no ano que vem, o deputado estadual João Vitor Xavier oficializou, nesta segunda-feira (27), sua filiação ao Cidadania (ex-PPS) e afirmou que tomou “a decisão de apresentar um projeto para a cidade”.

“É uma decisão apresentar esse projeto para a cidade. Precisamos construir uma sociedade mais moderna, mais contemporânea, que converse mais de perto com as pessoas. Uma Prefeitura que esteja aberta a dialogar com todo mundo”, disse o ex-tucano. Apesar do anúncio, o Cidadania ainda não formalizou o nome de João Vítor à corrida eleitoral de 2020.

O deputado, que se desfiliou do PSDB há um mês por uma série de divergências ideológicas, recebeu o apoio de dezenas de políticos, durante cerimônia realizada no espaço de eventos do Mercado Central. Entre eles, o senador Rodrigo Pacheco (DEM) e o deputado federal Fred Costa (Patriotas). Ambos os partidos têm tendência a apoiar um eventual projeto político de João Vítor em direção à Prefeitura da capital mineira.

Questionado sobre possíveis negociações, João Vítor evitou cravar apoios entre as legendas. “Gostaria muito que estivessem (na campanha), principalmente porque são partidos liderados por pessoas de bem, no caso do senador Rodrigo Pacheco e do deputado federal Fred Costa. Mas, isso vai ser decidido com o tempo, discutindo com esses partidos no momento adequado”, justificou o deputado.

Ainda no começo dos acordos eleitorais, o DEM tenta aprovar um sinal verde à candidatura de João Vítor para a Prefeitura, em troca de apoio do deputado a uma eventual candidatura de Pacheco ao governo do Estado, em 2022. Mesmo sem confirmar sua candidatura para o Palácio das Mangabeiras, Pacheco acredita em uma aliança entre os dois partidos.

“O Cidadania é um parceiro do Democratas em Minas Gerais e podemos construir muitas pontes futuras. Hoje eu estou no Senado e não há perspectiva de eu ser candidato à Prefeitura de Belo Horizonte. O João Vítor Xavier se apresenta como um nome viável, um nome que Belo Horizonte ficaria muito bem servida se o fizesse prefeito. Se num momento oportuno, houver reconhecimento da sociedade mineira ao nosso trabalho, (candidatar ao governo) é algo que podemos considerar. Mas, não há nenhuma definição neste momento”, disse Pacheco.

Cidadania

Em março deste ano, o Partido Popular Socialista (PPS) aprovou, durante congresso nacional extraordinário da sigla, a mudança de nome do partido para Cidadania. O presidente da legenda, o deputado federal Roberto Freire, justificou a alteração ao dizer que a “agenda socialista fracassou”.

Antes de aprovar a mudança de nome para Cidadania, o PPS tentou se fundir com dezenas de outras siglas enquadradas na cláusula de barreiras, a exemplo de negociações com o PMN, MD, PSB, PHS, PV e PEN. No fim do ano passado, novas conversas foram tratadas com líderes do PV e da Rede, mas nenhuma das negociações foi para frente.

Cidadania cresce em Minas Gerais com filiação do deputado estadual João Vitor

O deputado estadual de Minas Gerais, João Vitor Xavier,  oficializou seu ingresso no Cidadania, nesta segunda-feira (28). O parlamentar, que pode ser a aposta do partido para a eleição de prefeito, no ano que vem, recebeu o apoio diversas lideranças nacionais, como o presidente da sigla, Roberto Freire, e o líder do partido na Câmara, deputado federal Daniel Coelho, que prestigiaram o evento realizado no Mercado Central, em Belo Horizonte.

“Precisamos construir uma sociedade mais moderna, mais contemporânea, que converse mais de perto com as pessoas. Uma prefeitura que esteja aberta a dialogar com todo mundo”, afirmou João Vitor, que se desfiliou do PSDB há um mês.

A mudança de partido, segundo o deputado, foi motivada por questões ideológicas. Integrante do movimento denominado “cabeças pretas”, que pregava a renovação dos quadros do PSDB, ele se colocou contra o apoio da legenda ao governo Michel Temer, no ano passado. Na sua visão, o Cidadania “é um partido novo, aberto ao público jovem e que está sendo reformulado no país inteiro”.

“Está construindo uma linha ideológica dentro do que acredito, que é um partido que vai do centro para centro-direita, com liberdade do ponto de vista econômica mas também com preocupação com o engajamento social”, analisou.

Além de ser cotado para a disputa majoritária, Xavier também pode ser indicado para a presidência do Cidadania no estado.

“O João Vitor está disposto a isso, a ser prefeito e a presidir o partido. Ainda é cedo para falar sobre tudo, mas ele está disposto. Então, a presença do João Vitor vai além da Prefeitura. É a fixação do Cidadania em Minas Gerais”, afirmou Roberto Freire.