Cidadania-SP reúne 690 participantes em encontro virtual sobre as eleições de outubro

O Diretório Estadual do Cidadania23 de São Paulo inaugurou na noite de segunda-feira (15) um novo momento em sua trajetória com o “Encontro Estadual com Pré-Candidatas e Pré-Candidatos”. Realizado totalmente de forma virtual, o evento reuniu mais de 690 participantes via Zoom e YouTube para discutir temas como Legislação, Comunicação, Redes Sociais e Plano de Governo.

Presidente do Diretório, o deputado federal Arnaldo Jardim (SP) abriu o Encontro fazendo um panorama das ações que o partido vem realizando no Congresso Nacional, como a luta pela manutenção da renda básica, aprovação de verbas para auxiliar Estados e municípios, destinação de recursos para o combate à Covid-19 e crédito às empresas, em especial micro e pequenas. O deputado lembrou que o isolamento impõe aos pré-candidatos um desafio diferente na pré-campanha, mas está otimista com os resultados.

“Estou muito contente como presidente estadual de nosso partido e líder na Câmara por todos esses compromissos, que vamos reiterar nas urnas. Hoje trocamos ideias aqui para fazer um bom trabalho nas eleições apoiados nesta atuação que o partido vem tão bem realizando”, destacou. 

O primeiro painel foi apresentado pelo deputado federal Alex Manente e trouxe o advogado especialista em Direito Eleitoral Alexandre Bissoli repassando orientações sobre a legislação do período – com destaque para o que os pré-candidatos já podem ou não fazer. “Nossa ideia aqui hoje é orientar e capacitar vocês. A política tem se tornado algo extremamente profissional e organizado”, atentou Bissoli.

Ele foi seguido pelo deputado estadual Fernando Cury, que introduziu a apresentação sobre programa de governo feita pelo jornalista Luiz Carlos Azedo, diretor da Fundação Astrojildo Pereira, do Cidadania. Ele apresentou um panorama do momento político atual brasileiro e apontou que “a agenda liberal no sentido político está fortemente vinculada aos direitos humanos”. 

Para Azedo, são essenciais direitos como o acesso à saúde, à segurança, à moradia e à educação. “A agenda liberal não é só econômica, ela é também uma agenda política. Mas ela foi colocada em segundo plano. Porém, ela está vivíssima. Nós precisamos assumir essas bandeiras, senão não teremos políticas públicas com a verdadeira dimensão necessária.”

Momento atual

As transformações pelas quais a sociedade vem passando desde o começo da pandemia influenciarão nas próximas eleições, destacou Carlos Fernandes, presidente do Diretório Municipal de São Paulo, ao introduzir a apresentação de Paulo Guimarães, professor aposentado da Universidade de Campinas (Unicamp) e sócio do Instituto Guimarães de Pesquisa e Planejamento. 

“A pandemia trouxe para nós da área de pesquisa um componente novo, que é obrigar os institutos a fazer pesquisas por telefone. E aí começa um primeiro problema porque uma pesquisa por telefone, com base somente em uma lista telefônica, preserva alguns dados da população, mas não todos. A intenção de votos sai muito prejudicada”, exemplificou Guimarães sobre essas diferenças.

São novidades como o alcance do próprio evento, que contou com participantes de outros Estados como Roraima, Paraná, Pernambuco e Santa Catarina por ser fácil de ser assistido, pelo YouTube – amplificando o discurso do Cidadania e multiplicando conhecimento de forma acessível às filiadas e aos filiados.

Esse uso das redes sociais encerrou o Encontro, com a jornalista e especialista em Marketing Digital Alice Marcondes repassando formas de como usar toda a potencialidade da internet a favor da campanha de cada pré-candidata ou pré-candidato. Ela apresentou dados que confirmam o virtual como o novo normal e reforçou o poder de mobilização e divulgação de ferramentas como Instagram, Twitter e WhatsApp. 

“As pessoas entendem essas plataformas como ambientes onde elas vão entrar para receber informações. Seja uma notícia, seja uma informação sobre o político que elas acompanham, uma informação sobre os amigos. Mas elas querem também a interação, essa é a grande diferença das mídias sociais. Principalmente na política”, recomendou.

Seguindo essa modernização, o partido disponibilizou todo o conteúdo em seu canal do YouTube, o Cidadania23 SP. O Diretório estadual se prepara agora para realizar encontros regionais por São Paulo considerando o perfil de cada região do Estado.  (Assessoria do Cidadania-SP)

Em gesto de aproximação, Tabata apoiará pré-candidatura de Malu Molina pelo Cidadania

Assessora política da deputada federal, Molina simboliza fortalecimento, renovação e aproximação do partido com a sociedade, diz Carlos Fernandes, presidente da legenda na cidade de São Paulo (Foto: Reprodução)

Anunciada neste sábado (4), a chegada da cientista política Malu Molina ao Cidadania, pelo qual disputará uma vaga de vereadora em São Paulo, marca o fortalecimento das bandeiras do partido na cidade. A avaliação é do presidente municipal do Cidadania, Carlos Fernandes, para quem a deputada estadual suplente “simboliza a renovação” que a legenda busca desde que se abriu a movimentos cívicos como RenovaBR e Agora.

Malu terá o apoio da deputada federal Tabata Amaral (SP), hoje no PDT, de quem é assessora política. O gesto é mais um passo na aproximação entre a parlamentar e o Cidadania, observa Fernandes.

“Esperamos, mais à frente, continuar o diálogo com a Tabata para o futuro. Por ora, estamos muito felizes em receber o reforço da Malu como candidata, uma demonstração de que somos competitivos e vamos ampliar o número de cadeiras em outubro”, comemorou Carlos Fernandes.

Cidadania em SP vai apoiar candidatura do prefeito Bruno Covas, diz Fernandes (Foto: YouTube)

Segundo ele, o Cidadania terá “chapa completa” em São Paulo em apoio à pré-candidatura do prefeito Bruno Covas (PSDB), com perspectiva positiva de ter na vice o ex-secretário de Cultura Alê Youssef, também recém-filiado ao partido.

“Estamos conversando com os partidos da aliança para lançá-lo a vice, mas é uma definição que será tomada mais à frente. Oferecemos a aliança, mas não impusemos nomes. O prefeito está concentrado agora no combate ao coronavírus”, diz.

Perfil

Nascida e criada na Vila Mazzei, extremo norte da capital paulista, Malu Molina, 26 anos, é cientista política e atua como coordenadora política no mandato da deputada federal Tabata Amaral. Ocupa o posto de segunda deputada estadual suplente, após disputar eleição pela primeira vez em 2018 e obter 17.721 votos.

É líder nos movimentos de renovação política Raps, RenovaBr e Acredito. Começou a trabalhar aos 15 anos com vendas e costura, o que a motivou a escolher o curso de moda. Com bolsa de estudos, foi a primeira de sua família a fazer faculdade, e ao sair da sua comunidade para estudar e trabalhar fora, se deparou com uma outra São Paulo: rica, cheia de oportunidades, mas extremamente desigual.

Emendou a faculdade de moda com a de ciência política com um único foco: estudar e trabalhar para reduzir as desigualdades. Foi pesquisadora do tema (CNPq), eleita para o Conselho Municipal Participativo da Prefeitura Regional de Santana/Tucuruvi/Mandaqui, trabalhou na Secretaria de Direitos Humanos do município, dentre outras experiências no setor privado.