Jorge Kajuru quer que ex-presidente do Banco do Brasil explique pedido de demissão do cargo

Ex-presidente do banco declarou não ter se adaptado ‘à cultura de privilégios, compadrio e corrupção de Brasília’ em entrevista à imprensa (Foto: Reprodução)

O senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) apresentou requerimento no qual convida o ex-presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, para ele explicar no Senado o motivo de seu pedido de demissão do cargo.

“Queremos que o ex-presidente do Banco do Brasil explique, sobretudo, declarações que deu à imprensa ao falar sobre o pedido de demissão do cargo”, disse Kajuru.

Novaes entregou na última sexta-feira (24) um pedido de renúncia do cargo ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro da Economia, Paulo Guedes. Ele ocupava o posto desde o início do governo, em janeiro de 2019.

“Rubem Novaes declarou não ter se adaptado ‘à cultura de privilégios, compadrio e corrupção de Brasília’. Pela dimensão do Banco do Brasil, uma das maiores instituições financeiras da América do Sul, temos a obrigação de ouvir o senhor Rubem Novaes, para que ele detalhe o que viu de privilégios, compadrio e corrupção nos dezoito meses em que esteve na presidência do banco oficial”, justifica o senador no requerimento que precisa ser votado pelos parlamentares.

Ao jornal ‘O Globo’, Novaes disse que a sua saída não está ligada a nenhum fato específico e que desde junho já conversava com Guedes sobre a possibilidade.

Daniel Coelho critica decisão do governo de submeter peças publicitárias ao crivo do Planalto

O líder do Cidadania na Câmara, deputado federal Daniel Coelho (PE), classificou de “obsessão por aquilo que é lateral e esquecimento do que é essencial” a decisão do governo de submeter ao crivo do Palácio do Planalto todas as peças publicitárias do governo.

A medida veio na esteira do veto do presidente Jair Bolsonaro a uma peça publicitária do Banco do Brasil para aumentar o volume de clientes jovens. O diretor de comunicação e marketing da instituição, Delano Valentim, foi demitido por causa da campanha.

Enquanto há preocupação com a publicidade, diz o parlamentar, “não vimos nenhum plano para melhorar o atendimento aos clientes nas agências do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal e nenhuma proposta para o microcrédito, nada que mude a vida do brasileiro”.

Segundo Daniel Coelho, o que se vê é “apenas espuma para criar falsas polêmicas com a agenda conservadora e populista”.